Estudo




           CAMINHAR COM DEUS



III
MUDAR O NOSSO PENSAR


III.a. Arrependimento: mudar o modo de pensar

Explicarei agora mais profundamente o que está envolvido neste processo de mudança na forma como pensamos. É da maior importância.
A Bíblia tem uma palavra especial para isto: “arrependimento.” Arrependimento quer dizer, literalmente, “mudar a vossa mente,” ou seja “mudar o modo como pensam.” No Novo testamento isto é declarado como requisito principal para a reconciliação com Deus. Não há nenhuma maneira para o homem, com todos os seus caminhos e pensamentos diferentes, de se reconciliar com Deus a menos que ele mude a sua maneira de pensar; ou seja, a não ser que se arrependa.


Vejamos apenas alguns exemplos do Novo Testamento. Em Marcos 1:2-4, Marcos dá a introdução ao ministério evangélico de Jesus.


Conforme está escrito no profeta Isaías[40]: "Enviarei à tua frente o meu mensageiro; ele preparará o teu caminho"—"voz do que clama no deserto: ‘Preparem o caminho para o Senhor, façam veredas retas para ele’ ". Assim surgiu João [isso é João Batista], batizando no deserto e pregando um batismo de arrependimento para o perdão dos pecados.(NVI) 


A palavra-chave no ministério de João foi “arrependimento”, e isso foi necessário para assim preparar o caminho para a vinda do Messias Jesus. Até que o povo de Deus fosse confrontado com a necessidade de mudar a sua forma de pensar, não estavam prontos para receber o Messias.
E um pouco mais à frente em Marcos 1:14-15, Marcos descreve o princípio do ministério público de Jesus.


Depois que João [o Batista] foi preso, Jesus foi para a Galiléia, proclamando as boas novas de Deus.[o Evangelho] "O tempo é chegado", dizia ele. "O Reino de Deus está próximo. Arrependam-se e creiam nas boas novas! 

      
Observem que o primeiro mandamento que Jesus deu no seu ministério público foi, “Arrependam-se, mudem a forma como pensam,” e só depois disso as pessoas podem crer. É um grande erro imaginar que podemos crer no verdadeiro sentido da palavra “crer” até que nos arrependamos. Tem de haver sempre arrependimento, primeiro, e então vem o crer.


III. b. ARREPENDIMENTO É SEMPRE O PRIMEIRO PASSO. 

Depois da Sua ressurreição, Jesus disse aos Seus discípulos em Lucas 24:47:

E em Seu nome se pregasse o arrependimento e a remissão dos pecados, em todas as nações, começando por Jerusalém.

Reparem que a mensagem é: arrependimento primeiro e depois perdão dos pecados. Não pode haver perdão dos pecados sem arrependimento, ou seja, sem mudarmos as nossas mentes e a maneira como pensamos. E então no Dia de Pentecostes, em Atos 2:38, quando a multidão condenada, mas não convertida, perguntou aos apóstolos,

Que faremos, homens irmãos?

Pedro deu-lhes uma resposta muito clara.

Pedro então lhes respondeu: “Arrependei-vos, e cada um de vós seja batizado em nome de Jesus Cristo, para remissão de vossos pecados” (NIV)

Qual foi a primeira coisa que ele teve de fazer ficar claro quando era o porta-voz tanto de Deus como da Igreja? Teve que transmitir que o primeiro requisito é, arrependimento!

 Em Atos 17:30, Paulo diz aos homens em Atenas:

“Mas Deus, não levando em conta os tempos da ignorância, manda agora que todos os homens em todo lugar se arrependam” (NIV)


                                      




 Nenhuma pessoa e nenhum lugar ficará fora. Todas as pessoas têm de se arrepender, mudar o seu modo de pensar. Agora porquê isso? A razão é dada em Isaías. Um simples versículo em Isaías dá a razão. Isaías 53:6:

Todos nós andávamos desgarrados como ovelhas, cada um se desviava pelo seu caminho; (NIV)

Isso é verdade para cada um de nós. Então como voltamos para a comunhão com Deus? Através do arrependimento, através da mudança do nosso modo de pensar. Alinhando o nosso pensar ao Dele.


III.c. Do pensar (meditar) ao falar e ao agir...

Uma outra palavra importante na Bíblia, interligada ao arrependimento é a palavra “meditação”. Na Bíblia, meditação no fundo significa, aprender a pensar à maneira de Deus, e a meditação abre a porta ao favor e bênção de Deus.

Em Josué 1:8, Deus disse isto a Josué:

“Não se aparte da tua boca o livro desta lei, antes medita nele dia e noite, para que tenhas cuidado de fazer conforme tudo quanto nele está escrito; porque então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.” (NIV)

A Palavra de Deus tinha que preencher a mente de Josué. Ele tinha de pensar em termos da Palavra de Deus, o tempo todo. Em seguida tinha de falá-La em voz alta, com a sua boca e tinha de confirmá-La com uma ação correspondente, mas, começou na sua mente. A chave era a meditação certa.



 A promessa para a meditação correta é, “então farás prosperar o teu caminho, e serás bem sucedido.” É o pinheiro e a murta aparecendo em vez do espinheiro e da sarça.

E então, no primeiro Salmo há esta maravilhosa passagem de abertura, que realmente define a nota chave para todo o livro dos Salmos. Salmo 1:1-3:

Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores; antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite. Pois será como a árvore plantada junto às correntes de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cuja folha não cai; e tudo quanto fizer prosperará.      


III.d. 3 condições
 Voltando para o Salmo 1:1-3:


Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores; antes tem seu prazer na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e noite. Pois será como a árvore plantada junto às correntes de águas, a qual dá o seu fruto na estação própria, e cuja folha não cai; e tudo quanto fizer prosperará.

Quero chamar atenção para a parte final:  e tudo quanto fizer prosperará. Para esta promessa se tornar uma realidade, repara que há três coisas que o homem não faz:
                                                       




Ele não deve seguir o conselho(as ideias, os pensamentos) dos ímpios, ficar no caminho dos pecadores (agir como eles), ou sentar-se no lugar dos escarnecedores (fazer igual a eles). Por outras palavras, ele deve renunciar ao caminho dos homens e aos seus respetivos pensamentos, e deve, por sua vez, substitui-los com os caminhos e os pensamentos de Deus que vêm até ele através da lei do Senhor, meditando nela  de dia e noite. Ele tem de preencher a sua mente com os pensamentos e caminhos de Deus. E quando ele fizer isso, então esta bela promessa se concretizará.


                                    



“Tal homem é como uma árvore plantada junto a ribeiros de água, produz o seu fruto na estação certa e a sua folhagem não murcha. Ele é abençoado. Está sempre a florescer. Está sempre fresco. Ele não sabe o que é murchar. Não conhece a esterilidade. Tais coisas não são o seu quinhão e está tudo resumido nesta frase simples e bela, “; e tudo quanto fizer prosperará..”

Gostarias de ser assim?

Deus mostrou-nos a chave.

É deixar a Sua Palavra entrar nos nossos corações e mentes e meditar nela de dia e noite.

Vamos substituir os nossos caminhos e pensamentos pelos Seus pensamentos e o resultado é, o que quer que façamos, prosperará.

IV
  • ABRAÇANDO OS OBJETIVOS DE DEUS
                                                           


                        IV.a. Uma revolução no nosso pensar.                                                     
    Nas lições anteriores, tenho nos levado por uma série de passos lógicos, em relação com este tema, “Concordando com Deus”. E quero começar agora revendo esses passos que são basicamente, como se segue:                              
    Primeiro, somos convidados no Novo Testamento para estarmos em comunhão com Deus. E essa comunhão é traduzida por caminhar com Deus. Para caminhar com Deus, a Bíblia ensina-nos que temos de concordar com Deus, estar em harmonia com Ele, ou seja, pormos os nossos caminhos e pensamentos em harmonia com os de Deus. Por natureza, os nossos caminhos e pensamentos não estão em harmonia com os de Deus; por isso Deus tem de fazer algo por nós. Deus faz algo por nós e fá-lo enviando a Sua Palavra dos céus como chuva e neve para dentro dos nossos corações, e isso permite-nos começar a reproduzir nos corações e mentes, os caminhos e pensamentos de Deus.                
    A palavra bíblica para esta mudança da forma como pensamos é “arrependimento”, e arrependimento é sempre o primeiro passo na reconciliação com Deus. Por todo o Novo Testamento, encontrarão desde o ministério de João Baptista, até no Livro do Apocalipse onde Jesus se dirige a igrejas que perderam o Seu propósito, que o primeiro requisito declarado é, “arrependam-se, mudem a vossa forma de pensar. Ponham os vossos pensamentos alinhados com os de Deus.                                                                                                               
    Depois, a palavra bíblica para pensar da mesma forma que Deus, quando alcançamos isso, é “meditação”, meditação na Lei de Deus ou meditação na Palavra de Deus. E isso indica claramente e consistentemente que a meditação correta abre as portas ao favor e bênção de Deus. Particularmente, no Salmo 1:3, falando do homem que medita dia e noite na Lei do Senhor, isto está resumido numa conclusão bela e simples, “Tudo o que ele fizer, prosperará.”                                
    Agora vou explicar certas áreas específicas do nosso pensamento que precisam mudar. Por outras palavras, vou considerar o que está incluído nesse grande conceito abrangente dos nossos pensamentos. Como podemos classificar os nossos pensamentos? Quais são os diferentes tipos de pensamentos ou caminhos que podemos aprender da Palavra de Deus? E quero sugerir quatro diferentes tipos de caminhos ou pensamentos. E isto não é concebido como uma classificação completa, mas apenas uma apresentação simples e básica.
                          
                                             

    Eu iria sugerir que há quatro áreas principais para as quais temos de conduzir os nossos caminhos e pensamentos de modo a ficarem alinhados com os de Deus e vou listá-los como se segue: Primeiro, objetivos; segundo, prioridades; terceiro, atitudes; e quarto, categorias. Em cada uma dessas áreas, temos de aprender a pensar do modo que Deus pensa. Por outras palavras, temos de aprender a entrar nos objetivos de Deus. Temos de aprender a pensar em termos das prioridades de Deus. Temos de aprender a cultivar as atitudes de Deus. E temos de classificar as coisas nas nossas mentes de acordo com as categorias de Deus. Esta é uma revolução de grande alcance de que estamos a falar. É este o resultado de um arrependimento verdadeiro.                                            
    Começamos com os objetivos de Deus, e quero afirmar o que acredito ser o primeiro e o objetivo final de Deus, que é, a Sua própria glória e satisfação. Já pensou acerca disso; qual é o propósito final de tudo no universo? É a glória e satisfação de Deus. Alguém disse uma vez, “Uma pessoa que não existe para a glória de Deus não tem qualquer direito de existir.” Acredito que isto seja verdade.
            Uma das escrituras que mostra este objetivo final de Deus é, Romanos 11:33-36, Paulo diz assim:                                                                                   
    Ó profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos!  Pois, quem jamais conheceu a mente do Senhor? ou quem se fez seu conselheiro?  Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? [Por outras palavras, nós nunca conseguimos ensinar Deus. Deus não precisa dos nossos conselhos. Nós precisamos dos ensinamentos de Deus. Nós precisamos do conselho de Deus. Dependemos Dele. E então Paulo resume tudo nesta declaração bastante poderosa:] Porque dele, e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Ámen. (NIV)


Sem comentários:

Enviar um comentário